• Equipe CG

CONHEÇA AS PRINCIPAIS TÉCNICAS DE DESENHO

Um artista completo pode usar todos os tipos de técnicas, mas para chegar lá é preciso conhecer os diferentes materiais que compõem essa arte. Leia e confira!



DESENHO POR ENCAIXE


É a técnica mais simples e fácil de aprender. Consiste em desenhar a partir de figuras geométricas. As figuras atuam como caixas, por isso chamamos de “desenho por encaixe”.




TEXTURAS E RABISCOS


Essa técnica é baseada na espontaneidade e naturalidade, portanto, não há preocupação com o realismo, perfeição e detalhes. O objetivo desse recurso é trabalhar traços e tons, preencher pequenas áreas do desenho, criar formas, volumes ou representar texturas reais.


A seguir, veja alguns exemplos de texturas:




LINHAS DIRETRIZES (GRADES)


Essa técnica é extremamente útil, principalmente para desenhar retratos. Com o auxílio de um lápis e uma régua, trace linhas paralelas verticais e horizontais, quadriculando a imagem que deseja reproduzir.


Repita a grade, com as medidas, no papel em branco que irá desenhar. Trace de forma leve para que possa apagar ao final do desenho.


Essa técnica também é bastante utilizada na ampliação de desenhos. Conhecida como “Scaling”, a grade serve como escala para o desenho ampliado. Por exemplo: Se os quadrados do desenho original medem 2cm x 2 cm, quadricule no papel em branco quadrados de 4cm x 4cm. Desta maneira você terá um desenho duas vezes maior, e assim sucessivamente, conforme o tamanho da ampliação desejada.




ESPAÇOS POSITIVOS E NEGATIVOS


Essa técnica é indicada para quem está iniciando na arte do desenho. Basicamente consiste em desenhar, desconsiderando detalhes específicos da imagem, focando na forma, dimensões e proporções. O segredo é enxergar a figura que será reproduzida, em duas partes: o espaço do objeto (espaço positivo) e o espaço ao redor (espaço negativo).


A seguir, veja o exemplo de espaços positivos e negativos, na prática:




PERSPECTIVA E ÂNGULOS


Perspectiva é a arte de representar objetos tridimensionais em uma superfície bidimensional. Essa técnica é usada para realismo aos objetos desenhados em termos de: largura, altura e profundidade.


O objetivo do desenho em perspectiva é capturar uma cena, respeitando fielmente a distância entre os objetos e o observador.


Para entender melhor a perspectiva, devemos considerar três características básicas da percepção visual:


1- Os objetos parecem menores à medida que se afastam de nós.


2- As formas que estão mais próximas do assunto ofuscam e tiram o foco dos objetos mais distantes.


3- As linhas paralelas parecem convergir para um ponto comum localizado no horizonte, conhecido como “ponto de fuga”.




Dica Importante: Para desenhar em perspectiva, o artista deve manter o mesmo ponto de vista. Também é recomendável que você não se mova enquanto desenha, limitando a amplitude da cena a 60 ou 80 graus (o equivalente a um cone de visão), pois quanto mais panorâmica a cena, mais difícil será reproduzi-la em perspectiva.



SOMBREAMENTO, ESFUMAÇADO E MANCHAS


O segredo do sombreamento é executar movimentos firmes, com uma pressão constante no lápis ou carvão. Não é difícil, porém, requer treino para adquirir melhor controle e domínio da técnica.


Usando um mesmo lápis, é possível obter tonalidades claras e escuras, apenas pelo autocontrole da mão.


Para começar, realize linhas suaves, sempre na mesma direção. Com o esfuminho, faça um acabamento suave, deixando a passagem de um tom para o outro quase imperceptível.



Curiosidade:


Um dos primeiros artistas a usar a “técnica do esfumado” foi Leonardo da Vinci. Durante seus estudos, constatou que a linha pura “não existe na natureza”, e que as zonas de luz e sombra são separadas por gradações de claro-escuro, e não por traços nítidos. Por isso, em suas obras, atenuava o contorno de suas figuras fazendo com que elas se integrassem ao ambiente.




ROSTO E CABEÇA


Desenhar rostos de maneira expressiva e realista é a ambição de qualquer artista!


O rosto é a identidade do indivíduo, capaz de revelar suas emoções e sentimentos. Como tudo na natureza, a face humana é definida por determinadas proporções. Embora não seja totalmente simétrica, cada rosto seja único e cada raça possua proporções diferentes, a divisão do rosto é uma técnica que facilita o trabalho na hora de desenhar.



É importante observar:


1- A forma básica da face humana é oval, ou seja, mais larga na parte da cabeça e mais estreita na região do queixo.


2- A largura da cabeça, é 5 vezes maior que a largura do olho.



CABELOS E PÊLOS


Essa técnica requer muito treino e dedicação. O segredo é fazer movimentos leves do início ao fim, sempre na direção dos fios, observado as tonalidades da sua referência.



Dicas importantes:


1- Faça um fundo acinzentado para dar o efeito de luz e sombra. Onde há luz use a caneta borracha, onde há sombra (fios mais grossos e escuros) utilize uma lapiseira.


2- Nunca cruze os fios! Para manter uma imagem realista e natural é preciso manter o padrão dos fios.

3- Finalize com um pincel intensificando as partes escuras e suavizando as partes claras.




EFEITO MOLHADO


O desenho realista é uma arte que impressiona. Quando aliado a técnicas, é possível criar um efeito tridimensional, dando a sensação de poder tocar a imagem ou senti-la.



Dicas para reproduzir gotas de suor, chuva ou lágrimas:


1- Utilize um lápis H, caneta borracha e esfuminho.


2- Desenhe a gota com a caneta borracha, para destacar o brilho e dar o aspecto de transparência.


3- Faça os contornos da gota com uma lapiseira, e escureça ao redor sombreando com o esfuminho para dar volume.


4- Respeite os princípios de sombra e a luz, de acordo com a imagem de referência do seu desenho.


5- Mantenha o mesmo padrão para todas as gotas.



RÚSTICO E SUAVE


Como qualquer outra arte, o desenho realista a lápis busca o belo e a harmonia. Porém, existem duas variações quanto ao estilo, que valem a pena destacar:


Estilo Rústico



Para a técnica rústica é indicado usar um papel granulado ou texturizado, para alcançar um efeito de sombreamento que destaque a porosidade e os traços do lápis.


Dica: Evite lápis macios e escuros, para não deixar o desenho muito pesado e desagradável aos olhos.


Estilo Suave



Na técnica suave, o ideal é usar um papel mais liso (Bristol) e ferramentas para esfumar o grafite. O segredo está no controle do lápis para obter traços suaves, e trabalhar bem o sombreamento, evitando deixar o desenho com linhas muito marcadas.


Dica: Use lápis mais escuros e macios desde as primeiras camadas.


E então?! Você está preparado para começar a desenhar?! Inscreva-se já e VÁ ALÉM!


#desenho #técnica