• Equipe CG

VOCÊ CONHECE OS TIPOS DE PIANO?

Surgido na Itália, o piano é um dos instrumentos mais tradicionais que existem, e também um dos poucos que transcenderam a barreira do clássico para o popular, sendo utilizado por músicos em ambos os contextos ao longo da história. É considerado perfeito para composições, por apresentar uma série de possibilidades harmônicas, melódicas e rítmicas.





Se você curte esse incrível instrumento, e tem vontade de adquiri-lo, vale a pena conhecer os diferentes tipos e suas principais características!





1. PIANO ACÚSTICO


Os pianos acústicos são utilizados por músicos em apresentações solo. Esse tipo de piano tem estrutura de madeira e produz melodias por meio de cordas e martelos, não dependendo de mecanismos eletrônicos para a amplificação sonora. Não é conectado à nenhuma fonte de energia e depende exclusivamente de abordagens mecânicas de reverberação.


Existem dois tipos de piano acústico: o de cauda e o vertical (piano de armário).


A seguir, mostraremos a diferença entre eles:




1.1 PIANO DE CAUDA


O piano de cauda, também conhecido como piano horizontal, é o modelo mais tradicional. Possui uma caixa harmônica robusta e cordas compridas, que fazem com que seu som agradável e encorpado se propague alto pelo ambiente.


Entre os diversos tipos de piano, este é o maior. E quanto maior o número de teclas e pedais, maior a sua metragem.


Esse tipo de piano é ideal para performances em lugares amplos e de boa acústica, como concertos e teatros, uma vez que é mais complexo de transportar e posicionar. São mais resistentes, porém, precisam ser mantidos em locais abertos para evitar que desafine com frequência.




1.2 PIANO VERTICAL


O piano vertical, também conhecido como piano de armário, é mais compacto. Suas medidas variam de 1 metro a 1,5 metros e suas cordas são estendidas na vertical. Essas características tornam seu timbre menos profundo e seu volume mais baixo. Sendo assim, o som se dissipa com menos impacto pelo ambiente.


Este modelo foi projetado para ambientes menores, como residências, já que é possível encostá-lo na parede sem causar problemas na afinação. Isso o torna uma ótima opção para quem busca um piano apenas para praticar.


As estruturas de suporte podem ser de metal ou de madeira. Geralmente, são mais fáceis para transportar e tendem a ser mais baratos também.




PIANO DIGITAL


Os pianos digitais fazem parte da revolução musical, que trouxe ao mercado instrumentos versáteis e modernos, com maior capacidade de controle.


Essa categoria de pianos foi desenvolvida para reproduzir timbres parecidos com os do piano acústico, porém, sem a necessidade de cordas, gerando os sons de forma eletrônica.


Como os sons são simulados, esse instrumento não necessita ser afinado. Apesar das similaridades com o teclado, existe uma diferença-chave: o piano não apresenta múltiplos sons, uma vez que o foco é fornecer uma experiência quase clássica.


Um grande diferencial deste equipamento é a possibilidade de programar um acompanhamento musical enquanto toca. O piano digital oferece botões de gravação com sequências musicais simultâneas.


É muito comum vê-los em bandas de música popular, por apresentar maior facilidade de transporte. São compactos e mais simples de tocar, e também uma ótima opção em termos de custo-benefício.




COMO ESCOLHER O SEU?


Sem dúvida, a escolha de um piano deve ser feita com bastante cuidado. Afinal, é um instrumento que acompanhará você por longos anos e poderá ser um importante parceiro para estudos e apresentações musicais. Por isso, analise com cautela e opte pelo modelo mais adequado às suas necessidades.


A seguir alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração na hora de escolher o seu instrumento:




OBJETIVO


É importante ter em mente, qual o seu objetivo em relação ao piano. Se for para treino e aprendizado, existem excelentes opções de piano vertical ou digital. Se o foco for profissional, o piano de cauda pode ser uma alternativa viável.




CUSTO


Tenha em mente que quanto maior for o piano ou quanto mais recursos ele tiver, mais caro ele será. Portanto a dica é definir um orçamento máximo que você está disposto a investir e começar a pesquisar de acordo com as características que você precisa.


Em termos financeiros, os tipos de piano diferem bastante. O piano de cauda, por ser maior e durar muito mais (até séculos), é consideravelmente mais caro. Contudo, eles valem a pena se o objetivo for profissional.


Pianos verticais tendem a ficar no meio-termo entre um digital e um de cauda. Já os digitais são os mais baratos, sendo que há uma variedade maior em termos de preço.




ESTILO MUSICAL


O estilo de música é fundamental para definir qual piano você deve adquirir. Afinal, cada vertente musical apresenta características que pedem um determinado tipo de som. No jazz mais clássico, por exemplo, é comum que haja um som de piano mais robusto, acústico, típico dos de cauda. No rock, existem alguns subgêneros que comportam pianos digitais. Na bossa nova, assim como no jazz, os modelos clássicos imperam também. A música pop moderna não requer muito mais do que sons digitais, o que um modelo portátil pode suprir facilmente.




LOCAL DE INSTALAÇÃO


Onde você vai colocar o seu piano? Essa é uma pergunta fundamental. Se há um espaço menor para colocá-lo no canto da casa, pode ser interessante um piano de armário ou um piano digital portátil. Se o local de armazenagem é um estúdio ou um espaço com facilidade de entrada de ar, um piano de cauda pode ser considerado. Lembre-se que o tamanho pode influenciar no volume e no timbre do instrumento, então você deve pesar isso na sua decisão.




MARCA


Atualmente existem diversas marcas e modelos no mercado como: Yamaha, Casio e Tokai. Seus custos são variados e dependem do tipo de piano que você deseja obter.


#piano #tipos